Doenças da Paratireóide

hipofise

As paratireóides são quatro pequenas glândulas que se localizam atrás da glândula da tireóide, na região do pescoço. Essas glândulas secretam um hormônio chamado de paratormônio (PTH) e são responsáveis pelo equilíbrio do cálcio e manutenção da massa óssea. [Imagem]

Paratireóide e Osso

As paratireóides são quatro pequenas glândulas que se localizam atrás da glândula da tireoide, na região do pescoço. Essas glândulas secretam um hormônio chamado de paratormônio (PTH) e são responsáveis pelo equilíbrio do cálcio e manutenção da massa óssea.


Hipoparatireoidismo

É a doença resultante da falta de produção de PTH pelas glândulas paratireóides. A falta desse hormônio causa a redução do cálcio no sangue.

Sintomas

Os sintomas são decorrentes da falta de cálcio: fraqueza, cãibras, sensação de formigamento no corpo e dormência nas mãos, espasmos involuntários dos músculos da face, e, mais raramente, malformações dos dentes e das unhas.

Causas

A causa mais frequente da doença é consequência da retirada das paratireóides durante cirurgias, sejam elas para a retirada de tumores de paratireóide ou em cirurgias de tireoide. A segunda causa mais frequente são doenças auto-imunes das paratireóides. As outras causas incluem doenças genéticas, exposição à radiação, doenças infiltrativas e falta de magnésio.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através das dosagens hormonais de PTH, cálcio e vitamin D, entre outros. Exames de imagem como ultrassonografia de região cervical, cintilografia e densitometria mineral óssea também devem ser solicitados.

Tratamento

O objetivo do tratamento do hipoparatireoidismo é normalizar as concentrações de cálcio no sangue. Isso é feito através da administração de medicamentos como as formas ativadas de vitamina D e cálcio.


Hiperparatireoidismo

É a doença resultante do excesso de produção de PTH pelas glândulas paratireóides. O excesso deste hormônio causa o aumento do cálcio no sangue e na urina.

Sintomas

A maioria dos pacientes não apresenta sintomas. No entanto, uma pequena parcela pode apresentar fraqueza, falta de apetite, náuseas, vômitos, intestino preso, confusão mental, depressão, muita sede e muita vontade de urinar (poliúria). Além disso, os portadores de hiperparatireoidismo podem ter cálculos renais e osteoporose.

Causas

A causa mais frequente é o adenoma (tumor benigno) de uma das quatro glândulas paratireóides. A segunda causa mais frequente é um aumento das quatro glândulas da paratireóide, conhecido como “hiperplasia primária das paratireóides”. Raramente o aumento de PTH é decorrente de um câncer maligno (carcinoma) de paratireóide.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através das dosagens hormonais de PTH, cálcio e vitamina D, entre outros. A avaliação de cálcio na urina também é aconselhado. Exames de imagem como ultrassonografia da região cervical, cintilografia e densitometria mineral óssea também devem ser solicitados.

Tratamento

O tratamento deve ser discutido com o endocrinologista. Geralmente, o hiperparatireoidismo primário é tratado por meio de cirurgia. Alguns pacientes assintomáticos podem ser acompanhados no consultório, através de exames, sem a realização de cirurgia.


Osteoporose

A osteoporose é uma doença caracterizada pela redução da massa óssea, o que pode acarretar em fraturas. É a doença resultante do aumento de absorção da massa óssea.

Sintomas

A maioria dos pacientes não apresenta sintomas. No entanto, existe um aumento no risco de fraturas.

Causas

A osteoporose pode ser decorrente da baixa ingestão de cálcio e vitamina D; pela deficiência hormonal decorrente da menopausa e do envelhecimento; pelo uso de certas medicações como corticóides, anticonvulsivantes, lítio, hormônios tireoideanos em excesso ou doenças como síndrome de Cushing, hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, acromegalia, doenças renais, doença celíaca entre outras.

Diagnóstico

A densitometria óssea é o exame de referência para o diagnóstico da osteoporose. O resultado deverá ser avaliado pelo seu endocrinologista, pois o diagnóstico é influenciado pelo sexo e a idade do paciente.

Tratamento

O tratamento da osteoporose tem por objetivo reduzir o risco de fraturas. Para isso, são necessárias orientações como a prática de exercícios físicos específicos, alimentação saudável que inclua alimentos ricos em cálcio e exposição adequada ao sol.

O seu médico irá avaliar a necessidade de medicação. Entre os medicamentos utilizados estão os bisfosfonatos e os compostos à base de estrógeno.